Moderninha pag seguro

Maranello On segunda-feira, 26 de junho de 2017

HB20 REBAIXADO com MOLAS ESPORTIVAS e RODAS ARO 17 








Fonte/pesquisa: http://www.carrosrebaixados.net.br/hb20-rebaixado-com-molas-esportivas-e-rodas-aro-17-2
Leia Mais ►
Maranello On




Montana preta rebaixada com Suspensão a ar Castor







OOOOOOOPA, já ouviram a frase ‘se arrastando no chão’? Essa frase serve muito bem para essa Montana Sport 1.8 que foi enviada para o nosso e-mail hoje dia 24/06/2011, ela pertence ao Jean Barbosa de São Miguel do Oeste – Santa Catarina, a caranga dele é patrocinada pela Car Audio Som Alarme e Suspensão – 

Loja Revendedora Castor Suspensões. Obviamente a caranga possui uma suspensão a ar da Castor por isso está atirada no chão, parabéns pelo carro Jean com certeza vai para os destaques dos mais rebaixados do site! Vai uma dica do carros rebaixados.net.br, já pensou em colocar um jogo de rodas cromadas na nave? avemariajão, ficaria insana!

Leia Mais ►
Maranello On domingo, 25 de junho de 2017



Ao fechar a compra de um zero-quilômetro, o vendedor o convence a levar uma série de equipamentos, como trava e vidros elétricos, CD player ou controle remoto na chave. Entre os argumentos, ele diz que é melhor colocar na concessionária para não correr o risco de receber um mau serviço numa loja qualquer ou avisa que ficará sem garantia se instalar um simples rádio em outro lugar. Você aceita – e aí podem começar seus problemas.
São comuns os casos em que esses equipamentos apresentam defeito e depois descobre-se que o acessório que comprou não é homologado pela montadora. Às vezes o cenário é pior: seu carro saiu de lá para receber os itens em uma loja independente por um valor muito menor do que você pagou.
A comerciante Vera Lucia Destro, 61 anos, teve problemas com seu Fox 1.0. “Primeiro foi o vidro do passageiro que não abria. Arrumaram na revisão. Depois foi o do motorista. Até hoje não consertaram. E foram eles que ofereceram o item como opcional”, afirma. Mas ele veio mesmo de fábrica? “Não sei dizer”, afirma. A dúvida de Vera é mais comum do que parece.
Boa parte dos consumidores não sabe se o equipamento que optou por levar é original de fábrica, se foi instalado na concessionária ou se a revenda mandou colocar fora. Nesse caso, quem esclarece é o filho de Vera, Rodrigo Destro, que entende do assunto: “Não, os botões do vidro elétrico não são iguais aos do carro que traz o item de série. Pior é que só enrolam e não consertam”.
O analista de sistemas Fabiano Negreiros Alves de Souza, 29 anos, sabe bem o que é isso. Foram sete meses até conseguir consertar o vidro elétrico de seu Fiesta Sedan. “Eles me convenceram a colocar um kit de vidros e travas, além de alarme, sob o risco de perder a garantia se fizesse o serviço fora.

Paguei quase três vezes mais por isso. Ao sair da revenda, vi que o vidro não fechava até o fim”, diz. Após muita reclamação, ele recorreu à Ford para resolver a questão.
Aqui cabe uma explicação que gera muita confusão na hora da compra: equipamento opcional é aquele que o consumidor – a partir de um catálogo – escolhe ter em seu automóvel ou não, mas que, quando aceito, é instalado na fábrica.
Já o acessório é colocado na concessionária, portanto cobrado como um serviço à parte. Em tese, o acessório oferecido pela autorizada deveria ser homologado pela montadora e, portanto, deveria ser coberto pela garantia de fábrica, válida em qualquer concessionária da rede.
Não são apenas donos de populares que sofrem. O administrador de empresas Sebastian Arias, 34 anos, comprou um Nissan Sentra com fechamento dos vidros por controle remoto, item que nem existe na lista de opcionais. “Depois de algum tempo, o fechamento de vidros e o travamento das portas pararam de funcionar.
Não falaram se era original, mas pensei que fosse, pois saía da concessionária instalado”, diz Arias, que ficou com um mico na mão. “Esse item não tem garantia de fábrica. Tem garantia da concessionária ou do fornecedor da concessionária. Qualquer problema causado pela instalação desse item não será coberto pela nossa garantia”, diz o diretor de pós-venda da Nissan, Justino Kawasaki.
Em vez de fiscalizar e punir quem instala equipamentos não homologados, as montadoras preferem transferir parte da culpa ao consumidor. “Mesmo dentro de uma concessionária, é preciso questionar a origem do equipamento. As autorizadas não são obrigadas a comercializar exclusivamente itens fornecidos pelas montadoras”, diz Edmilson Briotto, gerente de garantia da Peugeot.

“Vale lembrar que as lojas, apesar de serem autorizadas, são empresas independentes”, afirma Alexandre Cury, gerente de serviços e pós-venda da Honda. Mas ele indica onde mora o perigo: “Se a pessoa instala um Insulfilm, e o veículo tem problema na suspensão, ela será atendida pela garantia de fábrica, pois uma coisa não tem nada a ver com a outra. Já um kit GNV compromete de forma bem abrangente. Isso já aconteceu e a garantia foi cancelada”, diz.
Outra pedra no sapato são os kits flex que, pasme, são oferecidos até em concessionárias. Oficinas que convertem veículos flex de fábrica podem até tomar o cuidado de reprogramar o módulo da injeção eletrônica, mas muitos dos componentes que entram em contato com o álcool não são substituídos, pois sairia caro demais. O resultado no futuro pode provocar uma parada súbita ou até danos graves ao motor.

O ar-condicionado também entra na lista. “No passado já trabalhei para revendas. Mas ainda há muitas que instalam sim para concessionárias. Algumas até fazem esse serviço dentro da própria autorizada”, diz Raimundo de Carvalho, gerente da Klyciair, especializada em ar-condicionado. As fábricas se defendem dizendo que, além de dar treinamento, também ficam de olho nas concessionárias. “Temos uma equipe de consultores comerciais e de pós-venda com uma série de procedimentos para verificar o que está ou não correto”, afirma André Bassetto, analista de marketing da Renault.

Guia não-autorizado

  1. Confirme com o vendedor se é o equipamento original mesmo. Peça para ver a caixa e verifique se traz o logotipo da montadora.
  2. Peça para ver o catálogo do automóvel, que deve especificar que itens são de série, opcionais e acessórios. Uma consulta no site da montadora em casa às vezes pode resolver o problema.
  3. Exija nota fiscal e garantia em separado do item que será instalado. No caso dos acessórios, a garantia é responsabilidade da autorizada que realizou o serviço e do fabricante do equipamento (se for um defeito de fabricação). Mas é na autorizada que se deve reclamar primeiro.
  4. Caso ainda haja dúvidas sobre a garantia, entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) da montadora.

Som pobre

Uma oferta muito rica de modelos faz com que os aparelhos de som automotivo sejam os campeões em incidência de problemas, segundo as montadoras. “É um item que causa desde o consumo excessivo da bateria até defeitos na parte elétrica”, diz Edmilson Briotto, gerente de garantia da Peugeot. Depois do som, o que mais dá dor de cabeça às fábricas são os alarmes, seguidos por travas e vidros elétricos. Os kits GNV e flex e ar-condicionado ficam na lanterna.

Fonte/pesquisa: http://quatrorodas.abril.com.br/guia-de-compras/carros-novos/cuidado-instalacao-acessorios/
Leia Mais ►
Maranello On quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017
Quando se fala em carro preto e motorista, esqueça o tradicional chofer. A primeira imagem que vem à mente neste momento na vida do brasileiro é quem dirige um Uber. O sistema nasceu como um aplicativo de carona remunerada e estreou no Brasil em 2014. Desde então, a disputa com os táxis e até mesmo com a legislação, ocupa os noticiários, mas seu sucesso é indiscutível e o Uber se tornou uma alternativa de emprego. Você sabe o que é preciso para se tornar um motorista do Uber?




Exigências para o motorista
Para se cadastrar e ser um motorista do aplicativo, o interessado tem de cumprir algumas exigências. A entrega dos documentos é feita por upload digital diretamente no site da empresa. Todas as regras valem tanto para o Uber X, que sai mais em conta para o usuário, como para o Uber Black, mais luxuoso.
Idadeos interessados precisam ter ao menos 21 anos de idade.
Habilitaçãoa CNH precisa ser categoria B ou superior e é necessário trazer a observação EAR – Exerce Atividade Remunerada. Caso a sua não tenha, é preciso acionar o Detran de seu Estado e pedir a alteração, que exigirá um exame psicotécnico e a emissão de uma nova CNH com a observação. As taxas para esse serviço variam de cidade para cidade e se os exames são realizados ou não no próprio Detran.
Avaliação do usuário - Após ser aprovado, o motorista é avaliado pelos usuários. O ranking vai de uma a cinco estrelas, mas a exigência é alta. Caso a avaliação seja inferior a 4,3 estrelas, o motorista pode ser suspenso e não vai poder fazer corridas por até uma semana.
Leia mais:
Tire suas dúvidas sobre CNH
Outros documentos: além da CNH, o Uber não pede nenhum outro documento pessoal, mas, é preciso entregar um Atestado de Antecedentes Criminais, que pode ser obtido juntamente à Secretaria de Segurança Pública.
Exigências para o veículo
Não só o motorista que precisa atender a determinadas exigências. O carro também; alguns itens variam de acordo com a categoria do Uber em que se quer entrar (X ou Black), enquanto outros são comuns para todos.
Para todos:
Seguro APP:
 o carro deve ter uma apólice de seguro do tipo APP (Acidentes Pessoais de Passageiros). Em caso de acidente, este seguro indenizará os usuários.
Leia mais:
Tudo sobre seguro de veículos
Uber X
Exigências:
 pede-se apenas que veículo tenha ano de fabricação 2008 ou superior, ao menos quatro portas, ar-condicionado e capacidade de levar até cinco ocupantes.
Restrições: o Uber restringe carros adesivados, com placa vermelha (categoria aluguel), picapes, minivans de passageiros e caminhonetes. Porém, modelos como Honda Fit, Chevrolet Spin, JAC J6 e Nissan Grand Livina não são considerados minivans.
Leia mais:
Os carros 0km mais baratos para entrar no Uber X
Uber Black
Exigências: 
ao menos quatro portas, ar-condicionado e cinco lugares como no X, mas pede-se ainda que o veículo tenha bancos com revestimento de couro, seja classificado como sedã ou SUV e cor preta.
Restrições: apesar das exigências extras, não é qualquer carro que pode operar como Uber Black. No site da empresa há uma lista de modelos permitidos que deve ser seguida e o ano de fabricação mínimo varia de acordo com o modelo

Fonte/pesquisa: http://www.icarros.com.br/noticias/geral/o-que-e-preciso-para-ser-motorista-do-uber-/21114.html
caso o leitor queria conhecer mais sobre esse mercado e trabalhar nesse ramo temos um cupom com desconto com um material super importante
Leia Mais ►
Maranello On





Comprar o primeiro carro é daquelas realizações que vamos nos lembrar pra sempre. O gosto do brasileiro por carros é enorme e comprovado por pesquisa que aponta a compra dos veículos como o nosso 2º maior sonho de consumo, perdendo apenas para viajar. Se você está pensando e se planejando para realizar esse sonho pela 1ª vez, nós te ajudamos com algumas dicas essenciais.


1. Considere sua capacidade de pagamento

Estamos vivendo um período de instabilidade econômica, portanto quanto menos você puder comprometer a sua renda para comprar o primeiro carro, melhor. Esse será apenas o 1º de vários outros carros, dê um passo de cada vez.  Não assuma uma parcela maior do que consegue pagar para que o sonho não se transforme em um pesadelo no final do mês.
2. Contabilize todos os gastos que terá com o carro
 Parcela + gasolina + IPVA + DPVAT (seguro obrigatório) + licenciamento +seguro privado + manutenções + estacionamentos + outros = os seus gastos com o seu carro.
Um grande erro ao comprar o primeiro carro é considerar somente o valor da parcela e depois ficar endividado pois as contas não fecham. Como estes gastos são uma novidade para o seu orçamento, antes de bater o martelo orce qual será o seu custo total com o carro e veja se consegue e quer fazer este investimento agora. Às vezes vale a pena esperar mais um pouquinho e dar uma entrada maior mais pra frente.
 3. Avalie se é melhor ter um carro novo ou usado
O carro zero tem garantia e menor probabilidade de problemas mecânicos mas pode ser um investimento muito alto para um primeiro carro, onde costumamos causar alguns danos devido a falta de experiência. Já um carro usado é mais completo, tem um valor menor para investimento, não sofrerá tanto com os nossos aprendizados mas é um carro que tem um passado que precisa ser avaliado.  
Aqui nós te contamos dicas importantes na hora de escolher um carro usado. Pesquise! Não compre por impulso e não seja seduzido por promessas que parecem boas demais para ser verdade.  Visite várias concessionárias, compare os valores na internet e peça ajuda a pessoas mais experientes antes de comprar o primeiro carro.
4. Não escolha o modelo por impulso
Este provavelmente será o item em que você irá gastar mais tempo, afinal o mercado hoje oferece uma infinidade de modelos e possibilidades. Além disso, é importante que você tenha claro quais são os seus objetivos e demandas com o carro.
Avalie itens como:
- Será um carro para andar mais na cidade ou em estradas?
- Preciso carregar muitas ou poucas coisas, ou seja, preciso de um carro com porta-malas grande ou pequeno?
- Qual o custo de manutenção? As peças são fáceis de serem repostas?
- Ele tem uma desvalorização maior que o normal na revenda?
- Qual o consumo de combustível?
- Qual a potência do motor você precisa?

  A sua cidade é plana ou cheia de morros?
 - Qual o valor do seguro?
Algumas das respostas vêm das suas necessidades e para as outras é importante que você esgote todas as possibilidades pesquisando nas concessionárias, lendo opiniões de pessoas que já compraram os carros e conversando com amigos que tenham os modelos pelos quais você se interessa.
5. Contrate um seguro
 Infelizmente não conseguimos prever e evitar as eventualidades e por isto é muito importante que você contrate um seguro assim que comprar o primeiro carro. Diferente do seguro DPVAT, um seguro privado irá cobrir despesas de indenização de bens materiais causados por roubos, batidas ou fenômenos naturais, dentre vários outros.  Neste post te contamos em detalhes quais são as diferenças de cada um.
Se você está comprando o seu 1º carro, este será também o seu 1º seguro, portanto pesquise e compare os preços e vantagens de cada seguradora. Com este post você irá entender  quais são as coberturas básicas e opcionais de um seguro  e nestes outros você pode se familiarizar com termos  deste novo universo como o prêmio e o bônus.
caso o leitor queira conhecer melhor e até comprar um e-book com informações mais importantes sobre o assunto:
Leia Mais ►

UOL WI-FI Peça o seu